Arquivo da tag: cultura

O que significa Blue Monday?

giphy-4

Fonte: Metro.co.uk

Blue Monday, também conhecido como o dia mais triste do ano (tipicamente a terceira segunda-feira do mês de janeiro), se tornou uma lenda espalhada mundo afora, principalmente aqui no Reino Unido.

Essa data nada mais é do que uma jogada de marketing, parte de uma campanha da empresa de viagens Sky Travel que, em 2005, alegou ter calculado a data usando uma equação. A idéia é ridicularizada por cientistas como uma data ‘nonsense’.

Isso foi publicado em um comunicado de imprensa sob o nome de Cliff Arnall, na época, professor na Universidade de Cardiff. Mas Ben Goldacre (colunista do jornal inglês The Guardian) informou que o comunicado de imprensa foi entregue pela agência de relações públicas Porter Novelli para os acadêmicos e que a agência ofereceu dinheiro para que eles colocassem seus nomes. O jornal The Guardian depois publicou um comunicado da Universidade de Cardiff distanciando-se de Arnall: “a Universidade de Cardiff pediu-nos para salientar que Cliff Arnall (…) era um ex-tutor durante meio período na universidade, mas saiu em fevereiro.”

Variações da história têm sido repetidamente reutilizadas por outras empresas em comunicados de imprensa, como em 2014, que ‘Blue Monday’ foi usado por empresas de água mineral e bebidas alcoólicas. Algumas versões da história pretendem analisar as tendências em mensagens de mídia social para calcular a data.

Arnall disse que a data foi ‘descoberta’ para ajudar uma empresa de viagens “ a analisar quando as pessoas reservavam férias e as tendências de férias” e usou muitos fatores, incluindo: condições climáticas, o nível de dívidas (a diferença entre a dívida acumulada e da nossa capacidade de pagamento), o tempo desde o Natal, tempo de falha nas resoluções do nosso ano novo, baixos níveis de motivação e sentimento de uma necessidade de tomar medidas.

Ben Goldacre observou que as equações “falham mesmo até no sentido matemático em seus próprios termos”, salientando que, sob a equação original de Arnall, fazer as malas para dez horas ou para 40 sempre serão boas férias e que “você pode ter um fim de semana maravilhoso ficando em casa e cortar seu tempo de viagem a zero”. Dean Burnett, um neurocientista que já trabalhou no departamento de psicologia da Universidade de Cardiff, descreveu o trabalho como “uma farsa”, com “medidas absurdas”.

Arnall também diz, em um comunicado de imprensa de uma empresa de sorvete, que ele calculou o dia mais feliz do ano em 2005, 24 de junho, em 2006, 23 de junho, em 2008, 20 junho, em 2009, 19 de junho, e em 2010, 18 de Junho. Até agora, esta data tem caído perto de meio do verão no Hemisfério Norte (21 de junho a 24).

Fonte: en.wikipedia.org

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Cadê meu canudo?!

Estudante de último ano por aqui sonha só com duas coisas: o dia de colocar a dissertação na gavetinha de entregar trabalhos da universidade e a cerimônia de graduação. A nossa cerimônima não é tão pomposa como no Brasil – que dura 4 dias inclusive com baile de gala e culto ecumênico – mas não deixa de ser especial. No post de hoje, vamos contar para vocês sobre a Graduation Ceremony da nossa universidade.

O Vice Chancellor da universidade arrasando no chapéu. Foto: westminster.ac.uk

O Vice Chancellor da universidade arrasando no chapéu. Foto: westminster.ac.uk

Entregada a dissertação no dia 30 de april, chega a hora de (tomar um porre, afogar os demônios, chorar, sumir, se internar num spa, etc) aguardar ansiosamente as notas finais. Aqui na Westminster, elas serão publicadas no dia 11 de junho. Então, finalmente saberemos nossa média final e se formaremos com honras ou distinção. Cerca de um mês depois, ocorre a Graduation Ceremony.

As cerimônias da Westminster sempre ocorrem no Royal Festival Hall, às margens do rio Tâmisa, em Londres. Foto: westminster.ac.uk

As cerimônias da Westminster sempre ocorrem no Royal Festival Hall, às margens do rio Tâmisa, em Londres. Foto: westminster.ac.uk

Essa cerimônia se parece muito com a colação de grau do Brasil. Os alunos vestem as suas becas, chamam a família e são oficialmente condecorados como bacharéis. Cada departamento tem o seu dia. Eu e a Carol, estudantes de Relações Públicas, nos formaremos – se Deus quiser – no dia 13 de julho com os cursos de Jornalismo, Design, Radio e TV, Cinema, Música e Fotografia.

Os alunos são chamados pelo nome para cumprimentar o Vice Chancellor (uma espécie de Vice-Reitor) da universidade e pegar o seu canudo (vazio por enquanto, o diploma em si só chega uns 2 meses depois). Os formandos com honras ou distinção são chamados por último, separadamente.

A beca britânica. A cor depende do curso, essa é a que eu e Carol vamos usar no dia. Foto: westminster.ac.uk

A beca britânica. A cor depende do curso, essa é a que eu e Carol vamos usar no dia. Foto: westminster.ac.uk

Depois da cerimônia, os alunos se juntam as suas famílias para tirar fotos para o álbum de formatura e comemorar com champagne. Aqui na Inglaterra, não existe o culto ecumênico ou o baile de formatura (infelizmente), mas a gente tem uma coisa que o Brasil não tem: o famoso yearbook. Sim, aquele com as fotos engraçadas e depoimentos da turma.

Muita água ainda vai correr nesse “corgo”, como dizemos em Goiás, até o dia da nossa formatura, mas vejam nesse vídeo abaixo um trechinho de uma cerimônia de 2010:

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Comunidades estrangeiras em Londres

Londres tem comunidades (bairros) de quase todos os países do mundo – para citar alguns: Franceses em South Kensington, Poloneses em Hammersmith, Brasileiros em Willesden Junction, Portugueses em Stockwell, quem vem de Bangladesh normalmente mora em Tower Hamlets, Indianos em Southall, Caribenhos em Brixton, Turcos em Stoke Newington/Dalston e Green Lane e claro os Chineses, na China Town. Generalizando claro.

foto blog

By Community Channel

Mas a comida nos restaurantes da cidade tem muita influência de outros  países e uma mistura incrivel de nacionalidades – veja aqui alguns exemplos: Chinatown e Soho Ao sul do fervor do Soho e ao Norte da Leicester Square, a Chinatown é uma area repleta de restaurantes Chineses e lojas de comidas servindo a grande população chinesa e os turistas que ali passam. Há uma variedade de restaurantes que oferecem as especialidades do pais, a maioria com preços razoáveis. Depois do jantar, atravesse a Shaftesbury Avenue em direção ao Soho para curtir a noite nos bares, alguns abertos até o dia seguinte pela manhã.

blog

By Wikipedia

Brick Lane and Shoreditch/Hoxton

Brick Lane – or ‘Banglatown’ – é o coracao da comunidade de Bangladesh em Londres. É ali que ficam localizados os “curry”, restaurantes que servem comida de Bangladesh ou da India. Seus funcionarios ficam em frente mostrando os cardápios e oferecendo sua melhor oferta, dispostos a conquistar clientes que passam pela rua. Decida com calma, já que há muitas opções. Você sabia que nem todas as receitas com curry são apimentadas? Mas, cuidado, algumas sao extremamente fortes!

Screenshot 2015-03-02 at 14.58.49

By Telegraph

Os Ingleses adotaram o curry como um de seus pratos preferidos – normalmente degustados com algumas cervejas. Depois do jantar caminhe por Shoreditch e Hoxton onde há bares e festas para agradar a todos os gostos. Shoreditch/Hoxton é conhecida por ser o local escolhido por artistas e criativos, que em sua maioria mudaram para os arredores de Stoke Newington. Esta area agora é conhecida pelas grande quantidade de empresas de tecnologia e agências de propaganda, mídia digital e designers. É a divisa com o centro financeiro de Londres atraindo muita gente durante a semana também. Outra opção aos finais de semana, é o Spitalfields Market, um mercado onde você encontra antiguidades, comidas, roupas, decoração, ou o Columbia Road Flower Market ambos nesta área.

Dalston/Stoke Newington

Esta área é muito conhecida pelos ótimos restaurantes de comida Turca e mais recentemente por ser uma área com agitada vida noturna, já que as opções em Hoxton and Shoreditch se espalharam para o leste da cidade. A fumaça ainda ferve na grelha e a comida é tão boa quanto 20 anos atrás. Há muita variedade de preços entre os restaurantes e muitos permitem que você traga a sua própria bebida, são os restaurantes (BYO – Bring Your Own ou traga a sua própria). As especialidades são sempre carne assada – carneiro ou frango – e um pão delicioso. A vida noturna local tem orgulho em mostrar seu lado alternativo e de vanguarda. Alguns reclamam que os preços aumentaram mas a área ainda é valorizada por manter um espírito jovem – lugares como o Dalston Superstore, mistura de bar, restaurante e balada – ainda são famosos e o bairro tem bares e clubes em todos os lugares.

blog foto

By Time Out

Se você está planejando mudar e vir morar em Londres, a rede social Room in the Moon e uma boa opcao porque lhe conecta com pessoas que estao mudando para uma mesma cidade ou país e você pode ainda fazer amigos e achar um local para morar mesmo antes de sair de casa.       Fonte: Room in the Moon

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Lady Dinah’s Emporium: o Café dos Gatos.

Lady Dinah’s Cat Emporium: o primeiro ‘cat cafe’ de Londres, onde os clientes podem desfrutar de uma xícara de café na companhia de vários felinos.

image (2)

E nós fomos lá para conferir!

image (9)Um lugar inusitado onde você  pode desfrutar de uma variedade de sanduíches, bolos, chás e cafés enquanto acaricia 11 gatinhos nomeados: Adamska, Artemis, Biscuit, Carbonnelle, Donnie, Indiana, Loki, Mue, Petra, Romeo e Wookie.

image (3)

Os cafés com gatos já são muito populares em Taiwan, China e Japão. O lugar é decorado em um estilo vintage com tema Vitoriano.

image (6)

Em uma cidade onde muitas pessoas vivem sozinhas em apartamentos apertados e que não permitem animais de estimação, fazer amigos felinos tornou-se terapia popular para pessoas solitárias ou ansiosas.

image (5)O café está localizado no leste de Londres, em Shoreditch. Para visitar o local é necessário fazer reservas on-line, e no dia da visita paga-se £6 para ficar por 90 minutos (esse valor é para que possam cuidar dos gatinhos).

image (8)Vale a pena conferir!

Para mais informações, visite Lady Dinah’s Cat Emporium website.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Cultura Britânica

Você sabe o que é comemorado no dia 5 de novembro aqui na Inglaterra?

O mês de novembro aqui na Inglaterra é marcado por algumas datas muito importantes para a história dos ingleses. Entre essas datas o dia 5 de novembro simboliza um momento de luta pela liberdade.

A história da Conspiração da Pólvora

Barril

via Commons wikipedia

Em 1605, um soldado inglês católico chamado Guy Fawkes (ou Guido Fawkes) e um grupo de conspiradores tentaram explodir o Parlamento em Londres com barris de pólvora. Eles queriam assassinar o rei James I e os líderes do rei.

Por que o Guy Fawkes queria matar o rei James I e seus líderes? 

Fawkes

Guy Fawkes – via thedungeons.com

Eles queriam assassinar o rei James I e os membros do parlamento inglês que eram protestantes e responsáveis por uma repressão aos direitos dos católicos por causa de suas atividades contra a coroa.

                                                                                                   O que aconteceu 

Screenshot 2014-11-02 at 18.21.01

 

Parlamento – via Commons wikipedia

O plano que parecia simples – Fawkes era o responsável por guardar os barris de pólvora que seriam utilizados para explodir o parlamento. Mas os conspiradores não desejavam a morte de inocentes e católicos, portanto mandaram avisos para que eles mantivessem distância do parlamento no dia do ataque. O rei acabou descobrindo o plano e ordenou uma revista no parlamento e encontraram Fawkes guardando a pólvora.

 Descoberto Guy Fawkes

Guy_Fawkes_Mask

via commons wikepedia

Na manhã do dia 05 de novembro, soldados então descobriram Guy Fawkes escondido no porão e o prenderam. Guy Fawkes foi levado para a Torre de Londres torturado e  enforcado por traicão e tentativa de assassinato. Fawkes é visto como alguém que lutou e morreu por aquilo que acreditava. Sua máscara, que surgiu no filme V de Vingança é utilizada até hoje.

A Celebração

fogueira

via commons wikepedia

Em comemoração a sobrevivência do rei James e também ao revolucionário Guy Fawkes, há queima de fogos (conhecido aqui como Bonfire) e fogueiras por todo o país. O evento é comemorado anualmente na Inglaterra em 05 de novembro e os ingleses queimam bonecos nas fogueiras como uma espécie de malhação do Judas.

Screenshot 2014-11-02 at 18.49.03

via lonelyplanet.com

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O que tá pegando em Londres: Eurovision 2014

Enquanto o Brasil se prepara para a  Copa do Mundo de futebol, na Inglaterra – e no resto da Europa – todas as atenções estão voltadas para uma espécie de Copa Européia da Música – o Eurovision 2014. A edição deste ano do concurso teve sua final transmitida na TV no último sábado (10).

Foto: Daily Mirror

Todos os anos, desde 1956, cantores dos 26 países membros da European Broadcast Union (União Européia de Transmissão) se apresentam ao vivo para uma audiência de 100 a 600 milhões de telespectadores – sendo um dos programas mais vistos no mundo – com o desafio de terem a sua canção eleita a mais popular da Europa.

Apesar de pouco conhecido no Brasil, grandes nomes da música mundial foram relevados através do Eurovision. Em 1974, por exemplo, o grupo sueco ABBA vencia o concurso com a canção “Waterloo”, o que os levaria ao topos das paradas futuramente com hits como “Dancing Queen”.

Mais de uma década mais tarde, em 1988, era a vez de Celine Dion brilhar no Eurovision representando a Suíça, com a canção em francês, “Ne partez pas sans moi”.

Neste ano, o concurso começou com uma reviravolta: pela primeira vez, uma cantora que se auto-declarava uma drag queen , a austríaca Conchita, que ficou conhecida como “A Mulher Barbada” participou do concurso e, apesar de ter angariado muitos fãs, também foi alvo de muito preconceito. No fim, para o delírio da audiência, Conchita venceu o concurso com a música “Rise Like A Phoenix”:

A representante do Reino Unido, Molly Smitten-Downes, da cidade de Leicester, no norte da Inglaterra, foi motivo de orgulho para os ingleses, que há muito tempo estavam insatisfeitos com seus representantes no Eurovision. Ela cantou “Children of the Universe e terminou o concurso no 17° lugar:

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Happy Mother’s Day… mas peraí!

Hoje, dia 30 de março, os britânicos estão lotando os restaurantes e os vendedores de flores estão ganhando dinheiro que é uma beleza, porque hoje é dia das mães no país!

Mas aí, você me pergunta: Mas peraí, por que o dia das mães no Reino Unido é em um dia diferente do Brasil? E eu te dou a resposta nesse post.

Foto: Pommo mama via Flickr

Foto: Pommo mama via Flickr

O dia das mães no Brasil é comemorado no segundo domingo de março por influência da celebração americana, assim como em países como Canadá, Austrália e Peru. Nos Estados Unidos, antes da oficialização da data, se celebrava o dia das mães (só que chamado de Mothering Day) no segundo domingo de maio, em homenagem à fundação do grupo de mães de soldados que morreram na Guerra Civil no século 19.

Em 1914, porém, o presidente americano Woodrow Wilson oficializou a data e a chamou de Mother’s Day graças à campanha de uma mulher chamada Anna Jarvis. A mãe de Anna, a Anne Reeves, ajudou a fundar um grupo de mães que passava o dia especial delas oferecendo assistência médica, roupas e comida a grupos de soldados americanos. Anne morreu em 1908 e desde então sua filha lutou para ser reconhecido o dia em que as mães se reuniam para ajudar os soldados.

No Reino Unido, porém, a história é outra. Aqui, o dia das mães é celebrado no quarto domingo da quaresma. Não se sabe a razão ao certo do porquê esse dia ter sido escolhido ou como se deu a sua formalização, mas duas teorias prevalecem. Uma delas é a de que o dia tenha sido escolhido porque, no século 16, havia-se o costume de visitar a “Igreja Mãe” neste dia. Além disso, os serviçais eram autorizados a tirarem o dia de folga para passar com as suas famíias.

Outra teoria é a de que a data foi formalizada graças a publicação de um livro escrito por Constance Smith, apoiando a campanha de Anne Jarvis, nos Estados Unidos. O livro foi publicado em 1920 e, segundo Constance, em 1938 o Mother’s Day já era comemorado no quarto domingo da quaresma por todo o Império Britânico.

Seja lá qual for a razão, um Happy Mothers Day para todas as mães do Reino Unido!

1 comentário

Arquivado em Uncategorized