Arquivo da tag: acomodação

O diário de uma desabrigada em Londres

Tem alguém aí ainda?

Não estava dando para escrever ultimamente porque a vida de estudante em Londres no verão se resume a trabalhar, trabalhar e trabalhar pra juntar uma graninha para mais um semestre de universidade. Nos últimos 4 meses estagiei em uma gravadora importante aqui do Reino Unido e trabalhei em uma loja de roupas conhecida daqui. Estagio concluído, missão cumprida, tá na hora de contar pra vocês sobre mais uma luta que eu e muitos estudantes daqui enfrentam: a busca por um teto.

Tá, ok, o título do post foi meio exagerado mas o desespero tá grande aqui, viu! Basicamente, morei próximo a universidade durante os últimos 2 anos. Agora, porém, só tenho aulas uma vez por semana, por isso decidi morar mais próximo do centro. Achei gente pra pegar meu quarto em dois tempos, mas quem disse que eu acho quarto pra mim?

spareroom mapEsses são os quartos disponíveis em Londres. Por que então tá tão díficil arrumar acomodação?

A imobiliaria Savills UK fez uma pesquisa sobre o mercado no UK e chegou à conclusão de que, graças ao aumento de 45% no número de estudantes na Inglaterra entre 1999 e 2012 combinado com incentivos aos financiamentos de compra de casas “buy to let” (ou seja, “compre para alugar”), a idéia de alugar quartos para estudantes se tornou bastante atraente. Assim, naturalmente, muitos passaram a investir nesse mercado de residências estudantis, fazendo que tudo ficasse muito massificado. Ou seja, eles querem enfiar o máximo de estudantes num lugar só e, apesar de oferecem preços mais baixos, a qualidade da acomodação deixa muito a desejar. Por consequência, aquela família que comprou só uma casa, a decorou com móveis de qualidade e presta toda assistência aos seus inquilinos, ficou sem capacidade de competir com os investidores. E tudo isso significa que acomodação de qualidade em Londres ficou cara pra dedeu.

student-housing_2402882b

Fonte: Telegraph.co.uk

Casas para 5, 6, 7 pessoas… Mas sem sala, um banheiro para todo mundo e se estragar alguma coisa, nem vem!

Na prática, o que tudo isso que foi explicado ali em cima gerou foi uma concorrência acirrada no aluguel de acomodação de qualidade a preços mais em conta ou, como disse meu pai quando eu expliquei tudo isso pra ele, “concurso público pra ser inquilino”. Você vai até a casa, vê o quarto, ama tudo mas tem que impressionar os habitantes da casa para que eles te escolham entrem as outras 15 pessoas que já viram e amaram o quarto antes de você.

Como se tudo isso já não desse preguiça o suficiente, ainda tem os inúmeros golpes de falsos landlords que tentam tirar proveito desse difícil momento do mercado imobiliário para oferecer quartos no estilo bom-demais-pra-ser-verdade e passar a mão no dinheiro nos estudantes. Vejam esse exemplo real que aconteceu comigo ao contactar uma pessoa sobre um quarto:

screenshot-dub122 mail live com 2014-07-25 23-52-34E você achava que só brasileiro teria tamanha criatividade?

Mas eu não quero deixar ninguém desistimulado. A procura é árdua mas ainda tem muito landlord por aí que realmente se preocupa com o bem-estar de seus inquilinos. Existem também momentos de pico na oferta de quartos em Londres, nos meses de agosto e setembro, quando os estudantes estão se preparando para iniciar mais um ano letivo na universidade. É só ter paciência, um pouco de sorte e dois olhos bem abertos!

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Capítulo 6: Onde vou morar?

Assim como é mostrado no guia “Quero Estudar em Londres!”, existem duas opções de acomodação para estudantes em Londres: residências estudantis ou acomodação privada. No guia, eu dou algumas dicas sobre as vantagens e desvantagens de cada opção.

Neste post, eu vou mostrar pra vocês um vídeo que ilustra bem a vida em residências estudantis (menos as armas e a morte do flatmate no final!) e depois vou contar um pouco da minha experiência, já que morei em ambos os tipos de acomodação.

6 Regras das Residências Estudantis

Residências Estudantis vs. Acomodação privada

No meu primeiro ano aqui em Londres, eu escolhi morar na residência da minha universidade simplesmente pela praticidade de ser dentro do campus e porque eu não queria alugar um quarto estando no Brasil. Meu flat tinha 5 quartos e uma cozinha, cada quarto com seu próprio banheiro.

Meu quarto na residência estudantil da Universidade de Westminster, no campus de Harrow.

Meu quarto na residência estudantil da Universidade de Westminster, no campus de Harrow.

Eu tinha outros 4 flatmates (ou colegas de apartamento), 3 ingleses e 1 irlândes. Essa primeira convivência forçada com meus flatmates foi fundamental no início, pois eu não conhecia ninguém na universidade e eles acabaram se tornando a minha família. É verdade que, pelo fato de eles estarem tão perto de casa, eles não passavam pela mesma dificuldade de adaptação que eu, mas mesmo assim ajudou muito morar com outras pessoas no início.

IMG_1031

O banheiro do meu quarto era minúsculo.

Depois de alguns meses, eu realmente comecei a sentir que residência estudantil não era pra mim. Como não era a primeira vez que eu começava uma faculdade, eu não compartilhava da empolgação dos meus flatmates com as festas de calouros e a bebedeira. O problema do barulho no vídeo ali em cima é real, viu! Também comecei a sentir falta de uma casa com sala de estar e jardim, etc. Assim, no segundo ano, aluguei um quarto numa casa de estudantes.

Melhor coisa do mundo! Eu adoro morar em uma casa, poder trazer quantas pessoas eu quiser (meus amigos do Brasil estão sempre vindo passar uns tempos aqui comigo) e sentir uma atmosfera mais aconchegante. Também dei sorte com meus flatmates (todos britânicos, juro que não foi de propósito), que têm um estilo de vida mais parecido com o meu e se tornaram grandes amigos.

O segredo é saber do que você gosta: se você gosta mais de festa e badalação, acho que seu lugar é a residência estudantil. Se você gosta mais de chegar em casa depois de um dia cheio, sentar no sofá, ligar a TV e tomar um chá, alugue um quarto em uma casa. De qualquer maneira, boa sorte!

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A maior casa de estudantes do Reino Unido

Morar com outros estudantes é algo pelo que todo mundo que vem pra Londres estudar vai passar. Normalmente, grupos de 4 ou 5 estudantes alugam uma casa onde todos dividem os afazeres de casa e as contas. Agora, imagine só dividir uma casa com 32 estudantes? O jornal britânico Daily Mail visitou a maior casa de estudantes do país, em Plymouth, no sul da Inglaterra.

Veja o vídeo sobre a vida dos estudantes:

Eles estão ali para estudar – mas deve ser difícil quando se vive na maior casa de estudantes do Reino Unido.

A Regent House em Plymouth, Devon, é onde moram 32 estudantes que fazem festas 24 horas por dia em uma casa que é uma combinação de quatro sobrados imensos. Os inquilinos, estudantes da Universidade de Plymouth, gastam em torno de £75 a £100 por semana para viver em uma propriedade perto do campus.

Não é de se admirar que eles contem com três faxineiras que trabalham seis dias por semana para arrumar toda essa bagunça. Fotos tiradas pelos moradores da casa mostram festas sem fim – com pessoas dormindo nos corredores e estudantes bebendo cerveja de uma lata de lixo.

Os 24 meninos e 8 meninas tem 320 horas de aula por semana, em cursos que vão de engenharia civil e administração até enfermagem. Mas esse número é diminuido pelas estimadas 1.300 horas assistindo programas de TV como “Countdown” – e as 900 horas passadas em um dos inúmeros Playstations. A propriedade está cheia de setembro a julho, juntando cerca de £11.520 por mês e £126.000 por ano de aluguel para o dono da casa.

Em uma semana normal, os 32 estudantes usam:
40 rolos de papel higiênico; 20 sacos de lixo; 100 latas de feijão; 20 sacos de macarrão; 500 latas de cervejas; 150 latas de cidra; 50 macarrões instantâneos; 150 entregas de comida.

A cada semana eles gastam juntos:
320 horas em aulas; 311 horas em boates; 1.300 horas assistindo TV; 900 horas jogando Playstation; 224 horas jogando sinuca.

A casa possui:
32 quartos; 22 banheiros; 2 salas de estar; 3 cozinhas; 7 chuveiros (4 deles são duplos); uma banheira; uma mesa de sinuca; um jogo de dardos; 4 máquinas de lavar; 5 geladeiras; 5 freezers; 4 fornos.

Fonte: Daily Mail

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized