Atenção: mudanças importantes nas regras de imigração britânica

O governo britânico anunciou ontem mudanças importantes nas leis de imigração que afetam os estudantes internacionais que estão no país sob o visto Tier 4. O anúncio faz parte de uma série de alterações nas políticas de imigração que vêm sendo feitas desde abril desse ano.

UK-Visa

Vamos então às principais mudanças:

Tier 4 Student Visa

As mudanças nessa categoria afetam principalmente os estudantes que desejam fazer college, o ensino médio britânico, no UK. Para os universitários, porém, a notícia é boa.

1. Estudantes universitários poderão fazer um novo curso do mesmo nível (graduação, pós-graduação, etc) desde que ele seja relacionado ao curso anterior ou que a universidade ateste que ele faz parte do plano de carreira do estudante. Essa mudança vale para vistos obtidos a partir de agosto.

2. Estudantes que forem para o UK pra fazer college não poderão mais trabalhar a partir de agosto.

3. Estudantes de college não poderão extender seus vistos Tier 4 a não ser que ele esteja indo para a universidade parceira do college. Se ele quiser estudar em outra universidade, ele deverá aplicar para um novo visto fora do UK (para vistos obtidos a partir de agosto).

4. Os estudantes de college também não poderão mudar seus vistos Tier 4 para Tier 2 ou 5. Eles deverão sair do país e aplicar para um novo visto, a partir de novembro.

5. Vistos cedidos a estudantes de college terão limite máximo de 2 anos, e não mais 3, a partir de novembro.

6. Os dependentes de estudantes que estão com Tier 4 não poderão mais ter empregos de baixa qualificação (faxineiro(a), garçom/garçonete, etc). Essa mudança passa a vigorar no outono britânico.

Fonte: Gov.uk

Tier 2 Work Visa

s300_uk_visa

1. O salário mínimo base para empregos que garantem o Tier 2 passa de £20,500 para £20,800. Os salários de categorias específicas também subiram.

2. Além de aceitar ser sponsor de um imigrante, o empregador deverá agora aplicar para o Restricted Certificate of Sponsorship e aguardar alocação mensal de vistos Tier 2. Em julho, foram cerca de 2000 slots e 1900 em agosto.

3. O período de espera para o requerimento de um novo visto Tier 2 está mais flexível. Os atuais 12 meses podem ser quebrados caso o empregador queira oferecer vistos Tier 2 para projetos com menos de 3 meses.

Residência Permanente
A regra atual de permanência de 5 anos com o Tier 2 para obtenção de residência permanente ganhou mais um requerimento: o trabalhador deverá estar ganhando mais de £35,000 por ano.

Taxa de uso do NHS (sistema de saúde britânico):
Se antes o sistema de saúde britânico era gratuito, agora imigrantes internacionais que obtiverem período de estadia maior do que 6 meses no UK deverão pagar uma taxa anual de £200. As excessões valem para trabalhadores transferidos dentro da companhia para um escritório britânico e para residentes permanentes. Para quem vai ficar menos de 6 meses no UK, será cobrada uma taxa de 150% por tratamento obtido.

Fonte e mais infos: Workpermit.com

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Cadê meu canudo?!

Estudante de último ano por aqui sonha só com duas coisas: o dia de colocar a dissertação na gavetinha de entregar trabalhos da universidade e a cerimônia de graduação. A nossa cerimônima não é tão pomposa como no Brasil – que dura 4 dias inclusive com baile de gala e culto ecumênico – mas não deixa de ser especial. No post de hoje, vamos contar para vocês sobre a Graduation Ceremony da nossa universidade.

O Vice Chancellor da universidade arrasando no chapéu. Foto: westminster.ac.uk

O Vice Chancellor da universidade arrasando no chapéu. Foto: westminster.ac.uk

Entregada a dissertação no dia 30 de april, chega a hora de (tomar um porre, afogar os demônios, chorar, sumir, se internar num spa, etc) aguardar ansiosamente as notas finais. Aqui na Westminster, elas serão publicadas no dia 11 de junho. Então, finalmente saberemos nossa média final e se formaremos com honras ou distinção. Cerca de um mês depois, ocorre a Graduation Ceremony.

As cerimônias da Westminster sempre ocorrem no Royal Festival Hall, às margens do rio Tâmisa, em Londres. Foto: westminster.ac.uk

As cerimônias da Westminster sempre ocorrem no Royal Festival Hall, às margens do rio Tâmisa, em Londres. Foto: westminster.ac.uk

Essa cerimônia se parece muito com a colação de grau do Brasil. Os alunos vestem as suas becas, chamam a família e são oficialmente condecorados como bacharéis. Cada departamento tem o seu dia. Eu e a Carol, estudantes de Relações Públicas, nos formaremos – se Deus quiser – no dia 13 de julho com os cursos de Jornalismo, Design, Radio e TV, Cinema, Música e Fotografia.

Os alunos são chamados pelo nome para cumprimentar o Vice Chancellor (uma espécie de Vice-Reitor) da universidade e pegar o seu canudo (vazio por enquanto, o diploma em si só chega uns 2 meses depois). Os formandos com honras ou distinção são chamados por último, separadamente.

A beca britânica. A cor depende do curso, essa é a que eu e Carol vamos usar no dia. Foto: westminster.ac.uk

A beca britânica. A cor depende do curso, essa é a que eu e Carol vamos usar no dia. Foto: westminster.ac.uk

Depois da cerimônia, os alunos se juntam as suas famílias para tirar fotos para o álbum de formatura e comemorar com champagne. Aqui na Inglaterra, não existe o culto ecumênico ou o baile de formatura (infelizmente), mas a gente tem uma coisa que o Brasil não tem: o famoso yearbook. Sim, aquele com as fotos engraçadas e depoimentos da turma.

Muita água ainda vai correr nesse “corgo”, como dizemos em Goiás, até o dia da nossa formatura, mas vejam nesse vídeo abaixo um trechinho de uma cerimônia de 2010:

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Comunidades estrangeiras em Londres

Londres tem comunidades (bairros) de quase todos os países do mundo – para citar alguns: Franceses em South Kensington, Poloneses em Hammersmith, Brasileiros em Willesden Junction, Portugueses em Stockwell, quem vem de Bangladesh normalmente mora em Tower Hamlets, Indianos em Southall, Caribenhos em Brixton, Turcos em Stoke Newington/Dalston e Green Lane e claro os Chineses, na China Town. Generalizando claro.

foto blog

By Community Channel

Mas a comida nos restaurantes da cidade tem muita influência de outros  países e uma mistura incrivel de nacionalidades – veja aqui alguns exemplos: Chinatown e Soho Ao sul do fervor do Soho e ao Norte da Leicester Square, a Chinatown é uma area repleta de restaurantes Chineses e lojas de comidas servindo a grande população chinesa e os turistas que ali passam. Há uma variedade de restaurantes que oferecem as especialidades do pais, a maioria com preços razoáveis. Depois do jantar, atravesse a Shaftesbury Avenue em direção ao Soho para curtir a noite nos bares, alguns abertos até o dia seguinte pela manhã.

blog

By Wikipedia

Brick Lane and Shoreditch/Hoxton

Brick Lane – or ‘Banglatown’ – é o coracao da comunidade de Bangladesh em Londres. É ali que ficam localizados os “curry”, restaurantes que servem comida de Bangladesh ou da India. Seus funcionarios ficam em frente mostrando os cardápios e oferecendo sua melhor oferta, dispostos a conquistar clientes que passam pela rua. Decida com calma, já que há muitas opções. Você sabia que nem todas as receitas com curry são apimentadas? Mas, cuidado, algumas sao extremamente fortes!

Screenshot 2015-03-02 at 14.58.49

By Telegraph

Os Ingleses adotaram o curry como um de seus pratos preferidos – normalmente degustados com algumas cervejas. Depois do jantar caminhe por Shoreditch e Hoxton onde há bares e festas para agradar a todos os gostos. Shoreditch/Hoxton é conhecida por ser o local escolhido por artistas e criativos, que em sua maioria mudaram para os arredores de Stoke Newington. Esta area agora é conhecida pelas grande quantidade de empresas de tecnologia e agências de propaganda, mídia digital e designers. É a divisa com o centro financeiro de Londres atraindo muita gente durante a semana também. Outra opção aos finais de semana, é o Spitalfields Market, um mercado onde você encontra antiguidades, comidas, roupas, decoração, ou o Columbia Road Flower Market ambos nesta área.

Dalston/Stoke Newington

Esta área é muito conhecida pelos ótimos restaurantes de comida Turca e mais recentemente por ser uma área com agitada vida noturna, já que as opções em Hoxton and Shoreditch se espalharam para o leste da cidade. A fumaça ainda ferve na grelha e a comida é tão boa quanto 20 anos atrás. Há muita variedade de preços entre os restaurantes e muitos permitem que você traga a sua própria bebida, são os restaurantes (BYO – Bring Your Own ou traga a sua própria). As especialidades são sempre carne assada – carneiro ou frango – e um pão delicioso. A vida noturna local tem orgulho em mostrar seu lado alternativo e de vanguarda. Alguns reclamam que os preços aumentaram mas a área ainda é valorizada por manter um espírito jovem – lugares como o Dalston Superstore, mistura de bar, restaurante e balada – ainda são famosos e o bairro tem bares e clubes em todos os lugares.

blog foto

By Time Out

Se você está planejando mudar e vir morar em Londres, a rede social Room in the Moon e uma boa opcao porque lhe conecta com pessoas que estao mudando para uma mesma cidade ou país e você pode ainda fazer amigos e achar um local para morar mesmo antes de sair de casa.       Fonte: Room in the Moon

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Lady Dinah’s Emporium: o Café dos Gatos.

Lady Dinah’s Cat Emporium: o primeiro ‘cat cafe’ de Londres, onde os clientes podem desfrutar de uma xícara de café na companhia de vários felinos.

image (2)

E nós fomos lá para conferir!

image (9)Um lugar inusitado onde você  pode desfrutar de uma variedade de sanduíches, bolos, chás e cafés enquanto acaricia 11 gatinhos nomeados: Adamska, Artemis, Biscuit, Carbonnelle, Donnie, Indiana, Loki, Mue, Petra, Romeo e Wookie.

image (3)

Os cafés com gatos já são muito populares em Taiwan, China e Japão. O lugar é decorado em um estilo vintage com tema Vitoriano.

image (6)

Em uma cidade onde muitas pessoas vivem sozinhas em apartamentos apertados e que não permitem animais de estimação, fazer amigos felinos tornou-se terapia popular para pessoas solitárias ou ansiosas.

image (5)O café está localizado no leste de Londres, em Shoreditch. Para visitar o local é necessário fazer reservas on-line, e no dia da visita paga-se £6 para ficar por 90 minutos (esse valor é para que possam cuidar dos gatinhos).

image (8)Vale a pena conferir!

Para mais informações, visite Lady Dinah’s Cat Emporium website.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

International Student Visa Workshop – Tier 1 Graduate Entrepreneur visa

Chegamos ao último post sobre o International Student Visa Workshop, realizado pelo Londres para Estudantes em parceria com o Careers Development Centre da nossa querida University of Westminster.

Pra você que pegou o bonde andando, nós já falamos do Tier 2 Work Visa e do Tier 5 Government Authorised Exchange. Hoje, vamos focar no visto Tier 1 Graduate Entrepreneur.

Parte dos estudantes da University of Westminster que compareceram ao International Student Visa Workshop.

Parte dos estudantes da University of Westminster que compareceram ao International Student Visa Workshop.

Pra quem é o Tier 1 Graduate Entrepreneur?

Podem tirar esse visto estudantes formados no UK (seja undergraduate, masters ou até PhD) que tenha uma ideia brilhante para um empreendimento.

A grande sacada desse visto é que universidades atuam como sponsors de alunos que queiram investir num empreendimento. Cada universidade tem seu processo de seleção. Aqui, eu vou usar os critérios da University of Westminster, apresentados pela Elishba Zachariah, do Careers Development Centre, como modelo. Ah! Mas você pode aplicar para qualquer processo de seleção, não só o da sua própria universidade.

Quais são os requerimentos para o Tier 1?

Além de ter passado no processo seletivo de alguma universidade com a sua ideia empreendedora, você precisa comprovar fundos. O método é mais ou menos o mesmo dos outros vistos: extratos de conta bancária contendo £950 por 30 dias consecutivos (esse valor aumenta para £1,890 se você estiver aplicando de fora do UK).

Não é necessário apresentar teste de inglês.

Quanto tempo demora para sair o visto?

Depois da aplicação, o visto sai, em média, em 2 meses.

Por quanto tempo eu posso ficar no UK com o Tier 1?

O Tier 1 tem duração de um ano. Esse prazo pode ser extendido por mais um ano se a universidade achar necessário. A desvantagem desse visto é que esse tempo não conta para o tempo necessário para o visto de residência permanente.

Para mais informações sobre o esquema da University of Westminster, leiam aqui estão as regras.

Esperamos que tenham gostado das dicas do workshop. Além disso, esperamos que vocês tenham tido uma noção de como o governo britânico tem imposto requerimentos cada vez mais restritos para o estudante internacional que deseja obter experiência de trabalho. Se vocês quiserem entender um pouco mais sobre essa polêmica, dêem uma olhada nessa campanha We Are International.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Mais sobre o International Student Visa Workshop – Tier 5 GAE visa

Vocês já ouviram falar do visto Tier 5 Government Authorised Exchange? Eu também nunca tinha ouvido falar dele antes do International Student Visa Workshop, organizado pelo Londres para Estudantes e o pessoal lindo do Careers Development Centre da University of Westminster.

Esse visto com nome digno de filme do James Bond é mais uma opção para você, pobre estudante brasileiro que se endividou até as calças pagando pela sua graduação e agora quer pelo menos ter um pouco de experiência trabalhando no UK. Quem contou pra gente tudinho sobre ele foi a Zenia Chopra. Ela faz parte da AIESEC UK que possui um esquema super bacana para ajudar os estudantes a tirarem o Tier 5.

James Bond tirou o Tier 5 para vir pro UK. Tá, mentira. Foto: Telegraph.co.uk

James Bond tirou o Tier 5 para vir pro UK. Tá, mentira. Foto: Telegraph.co.uk

Antes de irmos aos detalhes do Tier 5, só avisar que todas as informações contidas no post são referentes ao esquema Access Tier 5 da AIESEC. Porém, existem vários outros esquemas que o estudante pode usar para tirar esse visto.

O Tier 5 Government Authorised Exchange surgiu em 2008 e, assim como o Tier 2, faz parte do sistema de pontos introduzido no mesmo ano pela UKBA (United Kingdom Border Agency). Diferentemente do Tier 2 (assunto do post passado), você não precisa encontrar um empregador que seja seu sponsor.

Quem pode tirar o Tier 5?

Esse visto é apenas para alunos formados no UK há menos de 3 anos da data que for tirar o visto.

Pra que tipo de emprego serve o Tier 5?

Serve para estágios de até um ano (com possibilidade de extensão por mais um ano, mais sobre isso abaixo) que ofereça uma posição adicional, ou seja, que não seja essencial para a empresa. Ele também precisa ser full-time (entre 35 e 40 horas semanais) e pagar no mínimo £15,000 por ano.

Outro requerimento é que o estágio tenha um nível maior ou igual a NFQ3. Esse é um sistema complexo que os britânicos usam para avaliar o nível de qualificação para um emprego, mas aqui no nosso caso, significa que não pode ser um emprego como recepcionista ou secretário(a), por exemplo. Tem que ser um pouco mais qualificado do que isso.

A compania deve ser registrada no UK (a maioria são) e não pode pertencer aos ramos de hotelaria, saúde e agricultura. Qualquer outro campo está liberado!

Se eu não preciso de sponsor então ficou fácil!

Você está certíssimo, leitor imaginário. Tudo o que o estudante tem que fazer para tirar esse visto é encontrar um estágio que obedeça aos critérios acima. Depois, o estudante contacta a AIESEC e ela atua como o sponsor do estudante. O serviço é gratuito para o estudante, mas a empresa deve pagar £600 + impostos para a AIESEC.

A AIESEC irá, então, enviar um formulário para a empresa preencher que servirá para avaliá-la. Se a empresa não for registrada no UKBA como sponsor pro Tier 2, a AIESEC irá checar se a empresa está regularizada.

workshop 4

Zenia Chopra, no International Student Visa Workshop.

Eu posso extender esse visto ou mudar de outro visto?

Como eu disse ali em cima, esse visto pode ser extendido por mais 12 meses. O único requerimento é que você volte para o seu país e aplique para extensão de lá antes de voltar.

Quando a mudanças de visto, o estudante que está com o Tier 4 e quer obter o Tier 5, precisa obter um estágio na sua prória área de atuação. Se o estágio for de outra área, o estudante deverá voltar ao seu país ou ir para algum país europeu.

Mais informações sobre o Tier 5, dá uma olhada no site da UKBA.

Durante o workshop, a Zenia contou pra gente que o Tier 5 é uma ótima oportunidade para você mostrar pro seu empregador que é bom no que faz e convencê-lo a ser seu sponsor para o Tier 2. Essa é uma boa dica, já que às vezes pode ser difícil encontrar uma empresa que aceite ser seu sponsor, assim, de cara.

Se tiver afim de contactar a Zenia diretamente e tirar suas dúvidas, aí vão algumas formas de contato:

AccessTier 5

AIESEC UK – Access Tier 5 scheme.
Zenia Chopra
Telefone (UK): 02075491801
E-mail: zenia@accesstier5.com
Website: http://www.accesstier5.com

Semana que vem: Tier 1 Graduate Entrepreneur! Nos vemos lá!

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

O que rolou no International Student Visa Workshop – Tier 2 Work visa

Na semana passada, o Londres para Estudantes teve o prazer de realizar um importante workshop em parceria com o Career Development Centre da University of Westminster: o International Student Visa Workshop. O workshop – que faz parte da nossa campanha a favor de regras mais flexíveis para o estudante internacional que deseja continuar no UK depois de formado – trouxe palestrantes especialistas em três tipos de visto: o Tier 2 Work Visa, Tier 5 Government Authorised Exchange e o Tier 1 – Graduate Entrepeneur. Nos próximos posts, nós vamos compartilhar com vocês todas as dicas que foram passadas no nosso workshop. Vamos começar então? Hoje vamos falar do Tier 2 Work Visa, segundo a experiência de Jarmila Entezari, do escritório de Immigration Law, Bloomsbury Law.

flyer

O Tier 2 Work Visa é o visto para quem quer trabalhar no UK, independente de ter estudado aqui ou não. Ele substitui o bem mais flexível Post-Study Work Visa, abolido em 2012. Ele faz parte do sistema de pontos, implementado pelo UKBA (United Kingdom Border Agency) para controlar mais facilmente os requerimentos de visto. Vamos à eles! O que eu preciso ter para obter um Tier 2? Você, querido leitor, precisa ter três coisas: 1) um sponsor (ou um patrocinador, em tradução mais ou menos). Basicamente, um sponsor é um empregador que deve ter licensa do UKBA para se responsabilizarem por trabalhadores imigrantes. No site do UKBA, tem uma longa lista de empresas britânicas que são licensiadas. As empresas também são classificadas por classe A, B e C. Nós vamos falar mais sobre essas classes mais a frente. Caso você tenha sido oferecido(a) um emprego numa empresa não licensiada, o empregador pode obter essa licensa e empresas de qualquer tamanho podem fazê-lo. O único requerimento é que a empresa tenha um sistema de recursos humanos, mesmo que ele seja só uma pasta, o empregador precisa manter os dados dos seus empregados arquivados. A Bloomsbury Law pode ajudar com esse processo, mas a empresa paga uma taxa de £500 para se tornar um sponsor. 2) um Certificate of Sponsorship, que é um número oferecido pelo seu sponsor. Esse certificado é similaro ao CAS (Certificate of Acceptance in Studies) que a gente tira quando vem fazer universidade aqui. 3) um salário de, no minímo, £20,500 por ano. Esse número é a média, mas depende da área a qual pertence seu emprego. Você pode ver a lista completa de salários no Codes of Practice da UKBA.

ukba

Mas só isso?

Em alguns caso, você terá que apresentar mais duas coisinhas:

4) teste de inglês, mas esse requisito é só para quem não se formou em uma universidade de um país que tem o inglês como primeira língua. Portanto, se você se formou no UK, não precisa se preocupar com isso.

5) evidência de manutenção. Como eu falei lá em cima, o seu sponsor pode ser de classe A, B ou C, que depende da quantidade de documentos que ele apresentou ao UKBA. Se o seu empregador tiver uma licensa classe A, você pode pular essa parte. Mas se ele estiver em qualquer outra classe, você deverá apresentar extratos de uma conta no banco contendo, no mínimo, £945 por um período de três meses contínuos.

E por quanto tempo posso ficar no UK com o visto Tier 2?

A boa notícia é que esse visto lhe permite permancer no país enquanto você estiver empregado (se mudar de emprego, terá que aplicar para o visto de novo). E melhor ainda, o tempo que você permanece no UK com o Tier 2 conta para o tempo necessário para obter o visto de residência permanente. Ou seja, depois de 5 anos com o Tier 2, você já pode aplicar para a residência permanente.

Eu posso ter dois empregos ao mesmo tempo?

Pode, mas o segundo emprego (o que não tiver dado-lhe o visto) deve ser de até 20 horas por semana e na mesma área que o primeiro.

Quanto tempo demora para o visto sair?

Se o seu sponsor já for licensiado, costuma sair dentro de 2 a 3 meses. Você também pode pagar pelo serviço priority e ter o seu visto em mãos em 10 dias.

Para informações mais detalhadas, dêem uma olhada no Codes of Practice do UKBA (em inglês).

O que a Jarmila enfatizou bastante durante a palestra dela é que tirar o visto é muito simples, mas ao estudante cabe a parte mais díficil do processo todo: encontrar um empregador que aceite ser um sponsor. Às vezes por falta de informação ou por preferir menos burocracia. Por isso é importante saber de todas esses requisitos para o visto para poder informar o seu potencial empregador e tomar conta de toda a papelada.

A Bloomsbury Law também pode tomar conta do processo para você, inclusive explicá-lo para o empregador, se preciso. A consulta inicial é gratuita. Vai aí os contatos deles:

logo-bloomsbury2

Bloomsbury Law – 17 Manchester Street, London W1U 4DJ Telefone (UK): 020 79987777 Site: http://www.bloomsbury-law.com E-mail: jarmila.entezari@bloomsbury-law.com / alvyn.kee@bloomsbury-law.com

Semana que vem, vamos falar do Tier 5 Government Authorised Scheme! Até lá!

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized